Área do cliente

Laços e Buurtzorg: parte de um movimento global

A Holanda, esse pequeno país europeu, tem sido há um tempo um grande exemplo para a saúde do mundo todo. Isso, porque foi ali que nasceu o Buurtzorg, uma das maiores organizações de cuidados domiciliares do país e do mundo.

Seu diferencial é não operar dentro do modelo clássico de saúde. Para ele, o cliente é primeiramente uma pessoa e seus núcleos de convivências são centrais. O plano de saúde não é apenas uma combinação de tarefas médicas. O plano envolve ajudar a resolver os problemas dos pacientes com o apoio da família, vizinhos e amigos. Porque não são apenas os remédios que curam alguém, mas também a atenção e o amor.

Tais preceitos deram tão certo, que o sistema de saúde holandês reduziu os custos em cerca de 40%. Da mesma forma, reduziu o tempo que se leva para administrar o atendimento em 50%. A partir daí a Buurtzorg passou não só a influenciar, como liderar a inovação na Holanda e, alguns anos atrás, internacionalmente. O modelo está apoiando mudanças em mais de 25 países. Já são milhares de pacientes na China, Japão, Inglaterra, Índia e, agora, Brasil.

Crise mundial

Países em todo o mundo estão enfrentando problemas de saúde muito semelhantes. Ou seja, dificuldades quanto a qualidade e o alto custo, resultados insatisfatórios, falta de acesso aos cuidados. Além disso, falta de transparência das informações e uma crescente insatisfação entre pacientes e cuidadores.

Nos Estados Unidos, a saúde constitui 15,7% do PIB, em comparação com 9,7% na Holanda, 8,9% na Noruega e 7,5% na Irlanda. De acordo com um relatório divulgado pelo Fórum Econômico Mundial, sem nenhuma reforma em andamento que afete os impulsionadores fundamentais dos custos com saúde, estima-se que até 2040 os gastos totais podem crescer mais 50% a 100%.

A questão é que grandes custos, muitas vezes, não são compatíveis com grandes resultados. É só observar o caso dos Estados Unidos, que apesar de investir mais dinheiro do que qualquer outro país do mundo ocidental, tem resultados trágicos. Estima-se que 30 milhões de pessoas não têm sequer condições de pagar pelos cuidados por lá. A reforma da saúde é, portanto, uma questão urgente para a maioria das nações. 

A rápida expansão do Buurtzorg reflete a busca dos países para mudar essa realidade. À medida que se desenvolve, o modelo cria uma rede de aprendizagem em torno de si e a cada experiência gera conhecimentos e inovação.

Buurtzorg: mudando o mundo

Em sua movimentação global, o modelo Buurtzorg identificou em comum nos países em que foi aplicado, problemas como comando e controle de cima para baixo em vez de liberdade e responsabilidade profissional; sistemas que são muito mais complexos do que precisam ser; e serviços fragmentados em vez de cuidados holísticos.

Ainda sim, os ambientes variam e isso significa que as adaptações para cada cultura precisam ser pragmáticas e cuidadosas. Só assim se mantém os fundamentos do modelo em todos os lugares: humanidade acima da burocracia. De pouco em pouco, aplicação a aplicação, são esses os preceitos inovadores que vão mudar o mundo da saúde.

A colaboração é a chave para o sucesso operacional do Buurtzorg. É a partir dela que o modelo encontra novas formas de trabalhar e novas áreas de atendimento em suas aplicações. 

Laços: pioneira no Brasil

Sabendo de todo esse panorama. Assim como, o quanto o modelo Buurtzorg pode colaborar com o atendimento ao idoso e ao doente crônico no Brasil, a equipe da Laços Saúde foi a primeira a adaptá-lo ao país.

Os planos Laços Cuidado, Presença, Continuidade e Cuidado e Presença, trazem o Buurtzorg no que ele tem de melhor. Simultaneamente, adaptado às estruturas e necessidades que a população brasileira tem.

Aqui, o foco é no melhor cuidado no menor tempo, em uma rede de apoio multiprofissional e na capacitação contínua. Além de estabelecer solidez no controle de doenças crônicas e seus agravos. Nesse meio tempo, melhoria de qualidade de vida dos pacientes atendidos através da independência e interação social. 

Quem sabe o que podemos alcançar juntos daqui para frente? Entre em contato com a Laços Saúde e descubra como fazer parte dessa movimentação global.

© 2021 Laços Saúde. Todos os direitos reservados.