Área do cliente

Saúde do idoso e o distanciamento social

A quarentena tem diferentes impactos na vida das pessoas. Para a saúde do idoso, significa prevenção, mas também pode acarretar sentimentos de solidão e afetar negativamente o bem-estar e os níveis de atividade física.

Segundo dados da pesquisa “ConVid”, conduzida pela UFMG em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), menos de 15% dos entrevistados com mais de 60 anos têm realizado 150 minutos de atividade física semanal. Tempo mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Antes da pandemia, o índice era de 29,7%. Além disso, o tempo médio diário em frente à TV aumentou de 2 horas e 32 minutos, para 3 horas e 33 minutos por dia. 

Essa combinação, pode resultar em aumento dos níveis de estresse, insônia, depressão e ansiedade. Fatores diretamente ligados a um aumento de 40% no risco de demência. Assim como, um aumento de 26% de morte prematura, de acordo com artigos publicados no The Journals of Gerontology: Series B e The Lancet.

O poder do suporte emocional na saúde do idoso

Primeiramente, distanciamento físico e social são coisas diferentes. Lidar com a doença exige evitar o contato que possibilite a transmissão do vírus, mas todos nós precisamos de um senso de conexão social em tempos de incerteza. É ele que dá apoio e mantém a saúde mental em dia. Pensar a saúde do idoso, portanto, deve incluir suporte emocional e informação, para um devido controle do medo.

A internet, que se tornou uma ferramenta essencial para a maioria das pessoas atualmente, pode desempenhar um papel fundamental na conexão segura com amigos e familiares isolados. Também, no combate à solidão dos idosos neste momento.

A tecnologia pode ser utilizada desde para manterem as aulas de exercícios virtualmente, como para que as crianças e outros membros da família possam escrever e-mails para os avós. Ou chamar para conversas por vídeo com a maior freqüência possível. Conversas que criem espaço para compartilharem momentos simples e diários com seus entes queridos mais velhos.

Este é um momento vulnerável e cheio de muitas incertezas, uma simples ligação ou nota pode ser a diferença entre se sentir conectado ou sozinho

Atendimento ao idoso

Apesar de ser uma população vulnerável, é importante lembrar que os idosos ainda têm autonomia e é fundamental respeitar isso. Essa é justamente a premissa dos planos de atendimento ao idoso da Laços Saúde, que são baseados no Buurtzorg: modelo de assistência domiciliar ao idoso.

O objetivo é levar a saúde do idoso mais do que cuidados fisiológicos, levar também atenção à suas necessidades como seres humanos. Sabemos da importância de mudar essa cultura que exclui a terceira idade da tomada de decisões e a condena a apenas aceitar o que lhes impõem.

Todos desejam ter voz e por isso, adaptamos o modelo Buurtzorg às necessidades específicas do Brasil com os planos Laços Cuidado, Laços Presença, Laços Continuidade e Laços Cuidado e Presença. Cada um atende a um conjunto de objetivos específicos da saúde do idoso.

Saiba mais sobre nossos serviços aqui!

Fonte: Distanciamento social pode causar prejuízos à qualidade de vida de idosos.

© 2021 Laços Saúde. Todos os direitos reservados.